Eileen Gray

Irlandesa com história construída em Londres, Eileen Gray foi uma das primeiras mulheres a ser admitida na Escola de Artes Slade, onde começou a pintar em 1898, antes de fazer um aprendizado em uma oficina de laca em Londres. A experiência que ela ganhou trabalhando neste meio altamente especializado influenciou profundamente seus trabalhos ao se mudar para Paris em 1902. Após um treinamento adicional em trabalho de laca e marcenaria, ela rapidamente se estabeleceu como uma das principais designers de telas laqueadas e painéis decorativos tão amados pelos adeptos do Art déco, chegando a causar tumulto ao mostrar um Boudoir laqueado totalmente branco no 14º Salon des Artistes Décorateurs em 1923.

Em 1922 abriu sua própria galeria, Jean Désert, na Rue du Fauborg Saint Honoré. Durante as décadas de 1920 e 1930, se tornou uma das principais expoentes das novas teorias revolucionárias de design e construção. Trabalhou em estreita colaboração com muitas das figuras proeminentes do movimento moderno, incluindo Le Corbusier e JJP Oud. Bem à frente do grupo, ela exibiu móveis de cromo, tubo de aço e vidro em 1925 – o mesmo ano que Mies Van der Rohe e Marcel Breuer e bem antes de Le Corbusier. Seus esquemas de design de interiores do período são considerados modernos e elegantes até hoje.

Até sua morte em 1976, Eileen Gray continuou a trabalhar como designer. Uma de suas últimas tarefas foi trabalhar com Zeev Aram na introdução de seus designs no mercado mundial. Exemplos de seus primeiros trabalhos estão na coleção V&A, e sua famosa mesa ajustável  (E1027) está na coleção de design permanente do Museu de Arte Moderna de Nova York.

Filtrar por:

Exibindo um único resultado